Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Firjan

Aquário Regional Serrana mostra como conectar a indústria com startups

Especialistas discutiram que grandes companhias querem se aproximar de startups para inovar de forma mais rápida

Especialistas discutiram que grandes companhias querem se aproximar de startups para inovar de forma mais rápidaFoto: Divulgação

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 30/07/21 09:33  -  Atualizado em  02/08/21 10:44

Como as indústrias se conectam com as startups para buscar desde a otimização de processos até a transformação digital foi o tema do Aquário Regional Serrana, em 28/07. “Buscamos a conexão entre os diversos segmentos industriais da região e a parceria para promover inovação aberta e agregar valor aos produtos e serviços”, explicou Julio Talon, presidente do Conselho Empresarial da Firjan Serrana. 

Iuri Campos, líder do Aquário Casa Firjan, anunciou que este foi o piloto do novo Aquário Regional: “Queremos aproximar as questões da série que discute as tendências que estão impactando e transformando a realidade das empresas, no contexto das Regionais, começando pela Serrana”.

O evento contou com a palestra de Guilherme Massa, cofundador da Liga Ventures e especialista em inovação e startups. Um estudo apresentado por ele detectou que as grandes empresas estariam “morrendo”, com perspectiva de longevidade de apenas 30 anos. Estre os motivos está não conseguir acompanhar as tecnologias e as mudanças de comportamento dos clientes. Ele enumerou startups que, ao inovar, surpreenderam grandes empresas, como Airbnb, Tesla, Uber, Rappi e as fintchs.

“Vão surgir empreendedores tirando espaço do meu mercado e novas formas dos consumidores chegarão aos meus produtos. Para combater, é preciso inovar. Mas a escala de inovação pressupõe um volume grande de ideias. Para se chegar a um sucesso comercial, geramos em média 3 mil ideias”, salientou.

“Comece fazendo”

Buscar quem trabalha com inovação, como as startups, seria a solução. Segundo Massa, as empresas podem aproveitar empreendedores que já estão trabalhando em um modelo de negócio em várias etapas do “funil”, como pesquisa, desenvolvimento, novos mercados. “Os unicórnios não são apenas uma ameaça, mas podem ajudar a alavancar outras companhias”, concluiu. 

Na opinião do palestrante, as grandes companhias querem se aproximar de startups para inovar de forma mais rápida e financeiramente mais acessível, sem precisar criar novas unidades na corporação.

Testar novos modelos com mais dinamismo, fomentar a cultura intraempreendedora e atrair talentos são práticas do mercado em contato com startups. O primeiro passo para a empresa, diz Massa, é definir a estratégia de inovação. “Não perca tempo buscando o modelo perfeito. Comece fazendo”, aconselhou.

Assista aqui ao Aquário Regional na íntegra

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida